O Facebook continua a recuperar das falhas de mais de 14 horas que dificultaram o acesso a todos os serviços da rede social. O erro atingiu todos os produtos da empresa, o WhatsApp, o Messenger, o Instagram e o próprio Facebook, hoje com 2,3 mil milhões de utilizadores. Esta foi a maior falha de sempre e a companhia ainda não explicou o que aconteceu, tendo apenas informado que não se tratou de um ciberataque.

Os problemas surgiram por volta das 16 horas de quarta-feira. No Facebook, os utilizadores relataram que não conseguiam publicar. No Instagram, o feed não atualizava e os utilizadores não conseguiam também postar novos conteúdos. No Whatsapp o problema era com partilha de imagens e envio de mensagens. No Messenger do Facebook, a versão desktop não carregava. A falha também afetou o login no Facebook Workplace, uma ferramenta de trabalho colaborativo usada por empresas para comunicação interna.

 

 

De acordo com site downdetector, que monitora quebras de aplicativos online, os problemas tiveram dimensão global. Os principais relatos de erros eram de login na rede (36%), visualização do feed de notícias e novas publicações (33%) e total blackout, ou seja, apagão total dos aplicativos (30%).

 

 

No Twitter, a equipa do Instagram fez uma publicação às 4 horas da madrugada desta quinta-feira para indicar que as redes já se encontram estáveis. Usaram um Gif da apresentadora Oprah Winfrey, com a mensagem "estamos de volta".  

Em 2008 a empresa enfrentou uma falha semelhante, mas a base era bem menor, cerca de 150 milhões de utilizadores. Em sua conta no Twitter, o Facebook informou que estava trabalhando para resolver o problema o mais rapidamente possível e que não se tratou de um ataque DDoS.