O homem que matou Rafiki, um raro gorila que vivia nas montanhas do Uganda, foi condenado a onze anos de prisão.

Felix Byamukama acabou por se declarar culpado por ter entrado ilegalmente, juntamente com outros três homens, numa área protegida e matar o animal. O homem referiu que Rafiki o atacou e que agiu em legítima defesa.

Os outros três homens estão detidos, a aguardar julgamento.

Foi feita justiça”, disse a autoridade da vida selvagem do Uganda (UWA, sigla em inglês). 

As investigações mostraram que Rafiki foi morto por um objeto pontiagudo que lhe feriu vários órgãos. O gorila desapareceu no dia 1 de junho e o seu corpo foi encontrado no dia seguinte.

Rafiki era um raro gorila prateado. Tinha 25 anos e era líder de um grupo de 17 outros animais da mesma espécie.

A morte de Rafiki deixa o grupo instável e há possibilidade de se separarem. Agora não existe um líder”, disse Bashir Hangi, da UWA, citado pela BBC.

Lara Ferin