Um bebé foi raptado não uma, mas duas vezes no espaço de dois meses, no estado ocidental de Gujarat, na Índia.

"Já não perco mais o meu filho de vista", exclamou a mãe da criança, Meena Wadi, que trabalha como operária na cidade de Gandhinagar, em Gujarat, citada pela estação de televisão BBC.

O primeiro rapto

O primeiro rapto aconteceu quando o bebé tinha apenas dois dias de vida. Segundo a mãe, uma mulher, que alegava ser enfermeira do hospital onde Meena tinha dado à luz, disse-lhe que o seu bebé precisava de ser vacinado. Meena acreditou na enfermeira e foi com ela até ao hospital.

No hospital, a suposta profissional de saúde pediu a mãe para aguardar na sala de espera enquanto ela tirava uma fotografia ao bebé. Várias horas passaram, mas a enfermeira já não regressou.

Quando a mãe percebeu que já não veria o seu bebé começou a gritar.

Ao ouvir os meus gritos, os seguranças perguntaram-me o que tinha acontecido. Quando lhes contei, eles chamaram a polícia", explicou Meena Wadi, citada pela BBC.

Segundo o inspetor da polícia HP Zala, Meena não sabia o nome da enfermeira nem conseguia descreve-la.

As autoridades recorreram às imagens das câmaras de segurança do hospital para encontrarem mais pistas, mas não tiveram sucesso. Em seguida, a polícia interrogou mais de 500 condutores de tuck tucks até encontrar uma testemunha, que viu a enfermeira a fugir com o bebé num tuck tuck. A pista levou as autoridades até uma quinta abandonada, onde encontraram várias roupas de mulher e uma identificação.

A partir da identificação, a polícia conseguiu encontrar uma morada e chegar à casa dos culpados. No entanto, apesar de na casa estar uma mulher com um bebé, este não era o filho de Meena.

Segundo a moradora, o seu marido havia fugido com outra mulher.

Começámos a procurar o seu marido e encontrámos um casal hospedado com uma criança na morada dada pela primeira mulher", relatou o inspetor Zala, citado pela BBC.

Um teste de ADN confirmou que o bebé era o filho de Meena.

O casal foi detido, mas foi, entretanto, libertado sob fiança. A suposta enfermeira tinha dado à luz um nado-morto e tinha medo que, quando voltasse para casa, o marido a deixasse.

As pessoas querem tanto um filho, que acabam por raptar as crianças das famílias pobres", afirmou o antigo agente da polícia Deepak Vyas, citado pela BBC.

O segundo rapto

Meena e o seu marido Kanu estavam entusiasmados por terem o seu filho de volta a casa, mas felicidade não durou muito tempo. A 9 de junho, dois meses depois do primeiro rapto, o bebé desapareceu novamente.

Segundo Meena, o seu filho foi levado enquanto ela estava a apanhar lixo. Os pais dirigiram-se de imediato para a polícia para relatar novamente o rapto do bebé.

Através das imagens das câmaras de segurança, a polícia chegou a um suspeito: um homem que levava uma criança numa bicicleta no dia em que o bebé desapareceu.

As autoridades conseguiram localizar o homem, no entanto, naquele dia ele havia emprestado a bicicleta a um amigo, que vivia no estado vizinho de Rajasthan.

Juntamente com a polícia de Rajasthan conseguiram localizar o raptor, que se encontrava na sua casa com o bebé. O casal raptou o bebé de Meena porque ainda não tinham um filho.

Ele trabalhava na construção com o marido de Meena e quando soube do nascimento do bebé, orquestrou um plano para o raptar", explicou o inspetor Zala, citado pela BBC.

A polícia visita agora regularmente a família para verificar se o bebé está em segurança.

Não pudemos perder mais o bebé da nossa vista", disse Zala, citado pela BBC.

Mais de 43 mil crianças desapareceram na Índia no ano passado, de acordo com o Ministério da Mulher e Desenvolvimento Infantil. Só em Gujarat, cerca de 3.500 crianças desaparecem todos os anos.

Redação / IC