Um grupo de assaltantes raptou, no domingo, pelo menos oito pessoas, incluindo um bebé, do Hospital de Tuberculose e Lepra, localizado na cidade nigeriana de Zaria.

Segundo a porta-voz do hospital, Maryam Abdulrazaq, o ataque aconteceu nas primeiras horas da manhã e durou cerca de uma hora. Entre as pessoas raptadas estão duas enfermeiras, uma delas com o filho de um ano, um técnico de laboratório, um segurança e outros funcionários do hospital.

"Até agora, não houve pedido de resgate”, declarou Maryam, citada pela agência de notícias Reuters.

Muhammed Jalige, porta-voz da polícia de Kaduna, disse, numa declaração, que a esquadra da polícia estava a ser atacada “quase ao mesmo tempo”. A polícia conseguiu afastar os atacantes, após uma troca de tiros, que feriu alguns dos atacantes e recuperou dezenas de cartuchos de espingardas e metralhadoras.

Uma onda de assaltos e raptos tem assolado o estado de Kaduna, especialmente a cidade de Zaria, onde se encontra o hospital Nacional de Tuberculose e Lepra, que já foi atacado três vezes.

Desde dezembro de 2020, mais de 800 estudantes foram raptados, dos quais pelo menos 150 continuam desaparecidos.

Redação / IC