O primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, falou nesta quinta-feira por telefone com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, após a libertação de um casal de israelitas acusado de espionagem em Istambul, no primeiro contacto a este nível desde 2013.

“O primeiro-ministro Bennett agradeceu ao presidente Erdogan pelo seu envolvimento pessoal no regresso de Natali e Mody Oknin a Israel”, assinalou um comunicado do gabinete do primeiro-ministro.

Bennett também exprimiu o seu agradecimento pela abordagem a este caso por parte da Turquia e “elogiou as linhas de comunicação entre os dois países”, ao defini-las de “eficientes e discretas em tempos de crise”.

Este contacto telefónico ocorreu horas após a chegada a Israel do casal, que esteve detido durante nove dias na Turquia e acusado de espionagem por fotografar a residência do presidente turco.

As autoridades israelitas referiram-se a dois civis inocentes, que se encontravam de férias em Istambul e foram detidos por erro.

A sua libertação foi consequência de uma mediação diplomática que envolveu funcionários do gabinete do primeiro-ministro, do serviço de informações externas Mossad e do ministério dos negócios estrangeiros, que contactaram com o círculo próximo de Erdogan para o convencer da inocência dos detidos.

Pouco após o seu regresso a Israel, o presidente Isaac Herzog comunicou com Erdogan para agradecer a sua gestão da crise e transmitir o desejo de “manter um diálogo integral sobre questões bilaterais e regionais relacionadas com a paz regional”, informou o seu porta-voz.

Na quarta-feira, Herzog tinha já mantido uma conversa telefónica com o seu homólogo chinês Xi Jinping, uma novidade na história das relações entre os dois países, na qual foi designadamente abordado o programa nuclear iraniano.

As relações entre Israel e a Turquia são intensas nas áreas do comércio e da cooperação militar, apesar de nos últimos anos terem ocorrido tensões diplomáticas sobretudo motivadas pelas divergências face à questão palestiniana.

/ BMA