O assaltante de bancos reincidente que fugiu de helicóptero da prisão de Réau, em que estava detido, na região de Paris, foi finalmente detido pelas autoridades. Redoine Faïd, de 46 anos, foi detido três meses depois da fuga, na sua cidade natal - Creil, no norte de Paris - sem oferecer resistência.

Segundo o ministro da Justiça francês, em declarações à Europe 1, a detenção só foi possível graças às pistas que foram recebendo e Faïd vai agora ser detido numa prisão com "vigilância extremamente apertada".

Na evasão, em julho, contou com a ajuda de homens “fortemente armados”, segundo fonte próxima do inquérito citada pela agência France-Presse.

Esta foi a segunda vez que Faïd se evadiu de uma prisão, depois de em 2013 ter fugido da penitenciária de Lille-Séquedin, no norte de França.

A mesma fonte precisou que o foragido contou com a ajuda de “três cúmplices” e que o helicóptero foi mais tarde encontrado em Gonesse, a cerca de 60 quilómetros da prisão, tendo sido ativada uma operação de busca em toda a região parisiense.

Fonte policial citada pela agência disse que o helicóptero terá partido de Bourget, a norte de Paris.

Todos os meios foram mobilizados para localizar o fugitivo”, afirmou uma fonte do Ministério do Interior francês, acrescentando que foram “imediatamente alertadas” todas as unidades territoriais da polícia judiciária e da polícia militarizada, assim como os “dispositivos coordenados de controlo e interceção”, “tendo em conta a perigosidade do fugitivo e dos seus possíveis cúmplices”.

Redoine Faïd, 46 anos, foi condenado em segunda instância em abril a 25 anos de prisão por um assalto fracassado na região de Paris, em 2010, em que uma agente da polícia municipal, Aurélie Fouquet, foi morta.

Em 2017, Faïd foi condenado a 10 anos de prisão pela evasão da prisão Lilli-Séquedin e a 18 anos de prisão pelo ataque a uma carrinha blindada no norte de França em 2011.