Um menino de quatro anos ficou completamente desfigurado, depois de um autocarro em que seguia com a família ter sido atingido por um ataque aéreo na Síria. O episódio aconteceu em 2018, quando Jouma tinha apenas três anos, mas a história só agora foi conhecida. A BBC acompanhou o caso e divulgou um vídeo onde mostra várias imagens e conta a história da criança.

A explosão fez com que Jouma ficasse gravemente queimado em todo o rosto, além de ter ficado cego. O rapaz foi o mais afetado da família, uma vez que o lugar em que seguia no autocarro foi um dos mais atingidos pela bomba. Quando o raide atingiu o autocarro, a família estava a fugir da guerra.

A história foi contada pela correspondente Eloise Alanna, que acompanhou a família de Jouma, que agora vive no Líbano com os seus pais e os dois irmãos num pequeno quarto. A família tem origem curda, uma etnia que se espalha por vários países do Médio Oriente, entre os quais a Síria. Tentam reconstruir a vida no país vizinho, mas o idioma tem sido um dos obstáculos (a família de Jouma só fala curdo).

Quando vi o Jouma pela primeira vez, foi chocante ver a cara dele", confessou Eloise Alanna.

Em Beirute, capital libanesa, contam com a ajuda de uma voluntária, que traduz o essencial para que a família consiga ter comida. Os pais de Jouma tentam encontrar abrigo na Europa, mas o Líbano é um dos países com mais refugiados vindos da Síria (cerca de um milhão e meio), sendo que 70% deles vivem abaixo do limiar da pobreza, segundo a Human Rights Watch.

Eloise Alanna afirmou que o que mais lhe fez impressão não foi a cara deformada de Jouma, mas sim as cicatrizes psicológicas que a guerra deixou. A jornalista descreveu o menino como uma criança normal, "curioso pelo mundo e amado pelos pais"

A guerra civil na Síria dura desde 2011. Já fez mais de 500 mil mortos e deixou 6.7 milhões de pessoas desalojados, segundo dados das Nações Unidas e do Observatório Sírio para os Direitos Humanos, o que faz da Síria o país com mais refugiados no mundo.