O cargueiro dinamarquês Alexander Maersk, transportando 108 migrantes resgatados na sexta-feira ao largo da Líbia, foi finalmente autorizado a atracar em Pozzalo, depois de três dias de espera frente a este porto do sul de Itália.

A agência noticiosa AFP constatou que o navio começou pouco depois das 23:00 locais (22:00 de Lisboa) a entrar no porto, ajudado por um rebocador.

A embarcação mudou de rota na sexta-feira de manhã, para socorrer 113 pessoas ao largo da Líbia.

No sábado, cinco dos migrantes (quatro crianças e uma grávida), foram desembarcados na Sicília.

A ministra para a Imigração e Integração dinamarquesa, Inger Stjøberg, tinha divulgado a sua intenção de escrever ao ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, para lhe solicitar que agisse de forma a que os migrantes não continuem no barco.

Salvini, que também é vice-primeiro-ministro e chefe do partido de extrema-direita Liga, reafirmou segunda-feira que não aceitaria mais navios humanitários das organizações não-governamentais que socorrem os migrantes ao largo da Líbia a entrarem nos portos italianos.