Ativistas de extrema-direita de vários países europeus estão a preparar-se para tentar travar missões de resgate de migrantes no Mediterrâneo durante este verão, segundo relata o The Observer.

O chamado movimento “Identitário” iniciou recentemente uma campanha de crowdfunding, em que pediam 50 mil euros para embarcações, equipamento de filmagem e outros custos de viagem.

O objetivo é travar as missões de resgate de migrantes no Mediterrâneo por parte de organizações não-governamentais. Estas missões salvaram mais de seis mil vidas só este ano.

Em menos de três semanas, a campanha arrecadou quase 57 mil euros, ou seja, mais do que os ativistas de extrema-direita pediam.

Já em maio, a fação francesa deste movimento conseguiu perturbar uma missão de resgate da organização SOS Méditerranée na costa italiana, mas os ativistas acabaram detidos pela guarda-costeira.

“Embora estas ações sejam pavorosas, infelizmente não nos chocam. O facto destes ativistas de extrema-direita estarem a tentar evitar uma missão humanitária, que ajuda algumas das pessoas mais vulneráveis do mundo atual – incluindo mulheres e crianças em risco de afogamento – diz muito sobre eles e sobre a sua compaixão”, criticou Simon Murdoch, da organização anti-racismo londrina Hope not Hate, que está a analisar o movimento.

Só este ano, 1650 pessoas morreram a tentar atravessar o Mediterrâneo.