A Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da GNR, em missão na Agência Europeia de Guarda Costeira (Frontex), detetou 51 migrantes que estavam num barco de borracha em risco, a nordeste da ilha de Samos, Grécia.

Segundo um comunicado da GNR, de imediato, a equipa portuguesa estabeleceu contacto com uma embarcação da Letónia, que se encontrava nas imediações e ao serviço da Frontex, o que possibilitou o resgate das 51 pessoas, das quais três são crianças, 17 mulheres e 31 homens.

Os migrantes foram encaminhados para o porto de Karlovasi, onde desembarcaram em segurança.

O resgate ocorreu em resultado de uma ação de vigilância junto à costa, efetuada pelo Posto de Observação Móvel (POM) da UCC, o qual está dotado com sistemas de vigilância e deteção através de radar e de câmaras diurnas e noturnas, de alta resolução e alcance.

De acordo com a GNR, foi assim "possível detetar uma embarcação suspeita no mar Egeu, a dirigir-se para terra, na zona noroeste da ilha, verificando-se que se tratava de um pequeno barco de borracha, com excesso de lotação, o que poderia colocar em causa a navegabilidade da mesma e a segurança dos migrantes".

A GNR, nesta missão da Frontex, desenvolve ações nas fronteiras terrestres e marítimas com a finalidade de prevenir, detetar e reprimir ilícitos relacionados com a imigração ilegal, tráfico de seres humanos e outros crimes transfronteiriços, contribuindo fundamentalmente para a salvaguarda de vidas humanas.

/ SL