Portugal manifestou, esta segunda-feira, disponibilidade para receber 10 pessoas do grupo de 106 migrantes que se encontravam a bordo de navios humanitários que aportaram no sábado na ilha de Lampedusa, em Itália.

O navio humanitário Alan Kurdi tinha 65 migrantes a bordo, enquanto o veleiro Alex, da organização italiana Mediterranea, transportava 41 pessoas.

Num espírito de solidariedade europeia, Portugal, em conjunto com a Alemanha, França, Luxemburgo e Malta anunciaram a sua disponibilidade para receber este grupo de 106 pessoas”, refere um comunicado conjunto dos ministros da Administração Interna e dos Negócios Estrangeiros.

O Governo português considera que estes cinco países, com este gesto, testemunham “o seu dever de solidariedade humanitária e o desejo comum de fornecer soluções europeias para a questão da migração e das tragédias humanas que se desenvolvem no Mediterrâneo”.

Os dois ministros frisam que Portugal tem participado ativamente em todos os processos de acolhimento de migrantes resgatados por barcos humanitários no mediterrâneo, tendo já chegado ao país 127 pessoas desde 2018.

Não obstante esta disponibilidade solidária sempre manifestada, o Governo português continua a defender uma solução europeia integrada, estável e permanente para responder ao desafio migratório”, referem ainda os ministros Eduardo Cabrita e Augusto Santos Silva.