A União Europeia (UE) aprovou, em 2019, 295.785 pedidos de asilo, das quais 141.055 pessoas conseguiram o estatuto de refugiado, e recebeu 21.245 reinstalados de campos de refugiados em países terceiros, segundo o Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, face a 2018, o número de aprovações de pedidos de asilo recuou 6%.

O número total de requerentes de asilo a quem foi concedida proteção na UE em 2019 incluiu 141.055 concessões do estatuto de refugiado (48% de todas as decisões positivas), 82.070​​​​​​​ concessões de proteção subsidiária (28%) e 72.660​​​​​​​ concessões de proteção humanitária (25%). 

O maior grupo de beneficiários de proteção continuou a ser o de pessoas oriundas da Síria (78.575, 27% do total), seguindo-se o Afeganistão (40.030, 14%) e a Venezuela (37.490, 13%).

A Alemanha (116.230) foi o país que maior número de pedidos de asilo aprovou, em 2019, seguida pela França (42.120) e a Espanha (38.525), tendo a Síria, o Afeganistão e a Venezuela sido, respetivamente, as principais nacionalidades dos requerentes.

No ano passado, Portugal deu parecer positivo a 170 pedidos de asilo e recebeu 375 refugiados ao abrigo do programa de reinstalação.

A Síria (85, 50% do total) foi o principal país de origem, seguindo-se a Ucrânia (15, 8%) e a Eritreia (15, 8%).

/ Publicado por Henrique Magalhães Claudino