Vários turistas britânicos fugiram da estância de esqui de Verbier, na Suíça, naquilo que as autoridades classificaram como um ato "clandestino" que teve o propósito de escapar a uma quarentena obrigatória para quem chegue do Reino Unido.

A Suíça é um dos muitos países que baniu as viagens a partir do Reino Unido depois de ter sido detetada uma nova variante da covid-19, que, segundo as autoridades, pode ser até 70% mais contagiosas.

O Conselho Federal da Suíça impôs a 21 de dezembro um conjunto de novas medidas para combater esta nova estirpe, entre as quais estão a proibição de voos a partir do Reino Unido e um período de quarentena de 10 dias a quem chegue do país. As mesmas medidas foram aplicadas a voos e cidadãos oriundos da África do Sul.

Alguns turistas britânicos saíram imediatamente, outros decidiram ficar mais tempo. Alguns fugiram clandestinamente durante a noite", afirmou o porta-voz da cidade de Bagnes, Jean-Marc Sandoz, citado pela CNN.

O número de turistas que deixaram os hotéis ainda não é certo, mas as autoridades suíças acreditam que muitos deles estavam apenas à espera de conseguir uma forma de sair dos locais.

Segundo Jean-Marc Sandoz, 370 turistas provenientes do Reino Unido foram registados para fazerem uma quarentena de 10 dias, mas muitos deles escaparam: "Alguns tiveram de fugir para França, porque os aviões para o Reino Unido estão suspensos na Suíça", explicou.

Não podemos culpá-los. Na maioria dos casos a quarentena era insuportável. Imaginem o que é ficarem quatro pessoas num quarto de hotel com 20 metros quadrados, e terem de pagar para ficarem no resort", referiu o porta-voz.

O diretor do posto de turismo de Verbier, Simon Wiget, revelou que os turistas britânicos são responsáveis por cerca de 21% das estadias na estância.

As autoridades de saúde ainda estudam quais os verdadeiros efeitos desta nova variante da covid-19, nomeadamente sobre a mortalidade e, sobretudo, sobre as vacinas, que começaram a ser administradas em Portugal a 27 de dezembro. Esta terça-feira o Governo garantiu que a estirpe detetada no Reino Unido não tem influência na eficácia da imunização.

Em Portugal já foram detetados pelo menos 18 casos, todos na região autónoma da Madeira, sendo a maioria importados do Reino Unido.

António Guimarães