Um F-35B da força aérea britânica despenhou-se, esta quarta-feira, durante uma operação de rotina, no mar mediterrâneo, avança o jornal The Guardian

O piloto, que operava o caça a partir do porta-aviões Queen Elizabeth, ejetou-se a tempo, acabando por ser resgatado com segurança pela tripulação do navio. 

O piloto foi recolhido com segurança para o navio e uma investigação já foi iniciada, por isso, é inapropriado fazer mais comentários nesta altura”, afirmou um porta-voz do ministério da Defesa ao jornal britânico. 

Nenhuma outra aeronave ou embarcação esteve envolvida no acidente.

O Queen Elizabeth está de regresso ao Reino Unido, depois de um longo destacamento no Pacífico, que contou com o apoio de oito aviões F-35B britânicos e 10 norte-americanos.

Este é o primeiro acidente da força aérea britância a envolver um F-35B, um caça norte-americano de quinta geração desenvolvido pela Lockheed Martin. No entanto, este não é o primeiro incidente a envolver esta controversa aeronave. 

Constantes atrasos e aumentos no custo de desenvolvimento do projeto do F-35 mancharam a reputação daquele que deveria ser uma alternativa mais barata ao F-22.  

O Reino Unido acordou com o governo norte-americano a compra de 48 F-35B, até ao ano de 2025, por 7.144 milhões de euros.