O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, esteve em contacto com um caso positivo de covid-19, mas estava previsto que iria apenas cumprir isolamento profilático quando não estivesse a trabalhar, o que fazia parte de um programa-piloto.

Mas poucas horas depois do anúncio do gabinete do chefe de Governo, uma outra nota dava conta de que, afinal, Boris Johnson vai mesmo ter de cumprir o isolamento, uma vez que foi contactado pelo Serviço Nacional de Saúde para tal.

Boris Johnson não escapa assim a um isolamento profilático em casa, na véspera do levantamento de quase todas as restrições impostas na Inglaterra devido ao coronavírus, na segunda-feira, já batizado como o “dia da liberdade”.

Tal como o primeiro-ministro, também o ministro das Finanças, Rishi Sunak, foi contactados pelo serviço de saúde pública "porque estiveram em contacto com alguém que testou positivo à covid-19”, disse um porta-voz de Downing Street.

O ministro da Saúde, Sajid Javid, anunciou no sábado que testou positivo à doença.

O Reino Unido é um dos países mais afetados da Europa pela covid-19, com mais de 128 mil mortos, e onde os contágios têm subido nas últimas semanas, ultrapassando os 54 mil casos no sábado.

Apesar destes números, Boris Johnson anunciou o levantamento de quase todas as restrições em Inglaterra a partir de segunda-feira, incluindo o uso de máscara ou o distanciamento social, preferindo confiar na “responsabilidade individual” de cada um.

/ Publicado por António Guimarães