O Governo britânico admitiu esta quinta-feira que a propagação rápida no Reino Unido da variante do coronavírus descoberta na Índia poderá atrasar os planos de levantar totalmente em junho as restrições para controlar a pandemia de covid-19. 

O primeiro-ministro, Boris Johnson, admitiu que "pode ser necessário esperar” para além da data prevista de 21 de junho, e o ministro da Saúde, Matt Hancock, também disse que é "muito cedo para dizer" se o plano pode ser aplicado.

Numa intervenção no Parlamento, Hancock confirmou que a variante B1.617.2, identificada pela primeira vez na Índia, está a espalhar-se para além de algumas áreas identificadas no norte de Inglaterra e região de Londres.

É verdade, está a espalhar-se pelo país, mas as estimativas variam sobre que proporção dos novos casos identificados diariamente são da variante identificada pela primeira vez na Índia, que é mais transmissível”, disse aos deputados. 

Na sua opinião, "ainda é muito cedo para dizer se podemos dar o passo quatro completo, no dia 21 de junho”. 

O epidemiologista Neil Ferguson, da universidade Imperial College London, um dos principais cientistas que aconselham o Governo, disse hoje à BBC que a variante originária da Índia é agora a prevalecente no Reino Unido. 

Encontra-se agora em bem mais do que a maioria das áreas das autoridades locais no país e é agora a variante dominante. A maioria dos novos casos é da variante - isso é obviamente preocupante. Passou de uma pequena minoria há um mês para a variante dominante”, explicou. 

O plano de desconfinamento do Governo prevê que a 21 de junho sejam levantadas todas as restrições de distanciamento social, permitindo a reabertura de discotecas e grandes eventos públicos, como festivais. 

Atualmente, está limitado a seis o número de pessoas, ou dois agregados familiares, que podem frequentar juntas um espaço fechado, seja uma residência particular ou bares e restaurantes. 

Desde 17 de maio que cinemas, teatros, salas de concerto e estádios de futebol voltaram a poder funcionar com audiência, mas com limitações em termos de capacidade.

Ao ar livre, podem juntar-se grupos de até 30 pessoas. 

Boris Johnson já tinha admitido atrasar o calendário e hoje reiterou a importância de existirem cinco semanas de intervalo entre cada etapa para avaliar a situação. 

Na quarta-feira, o Reino Unido registou a morte de nove pessoas e 3.180 de covid-19, somando 127.748 óbitos desde o início da pandemia covid-19, o balanço mais alto da Europa e o quinto maior a nível mundial. 

. / CE