O ministro britânico responsável pelo Brexit demitiu-se na noite de domingo. David Davis sai em rutura com a primeira-ministra Theresa May. Também o secretário de Estado do Brexit, Steve Baker anunciou a sua demissão, noticia a edição online do jornal britânico The Telegraph, que admite uma onda de demissões no Governo liderado por May, que deverá ir ao Parlamento, esta segunda-feira.

De acordo com os órgão de comunicação britânicos, David Davis demitiu-se 48 horas depois de a primeira-ministra britânica, Theresa May, ter anunciado que o o Governo que lidera tinha concordado com um plano para manter algumas ligações com a União Europeia depois do Brexit, previsto para o próximo ano.

David Davis tem sido uma voz forte da defesa do Brexit no Governo de May, que tem estado dividido entre os apoiantes de uma 'saída limpa' da União Europeia e aqueles que querem manter ligações próximas ao bloco de países europeus.

Os pro-Brexit têm criticado Theresa May por considerarem que os planos da primeira-ministra mantêm o Reino Unido demasiado perto da União Europeia, o que limita a capacidade do país para avançar com novos acordos comerciais.

David Davis, eurocético nomeado há dois anos para chefiar um ministério criado após o voto britânico de deixar a União Europeia, ameaçou deixar o cargo várias vezes nos últimos meses devido a desentendimentos com a primeira-ministra, segundo alguma comunicação social britânica.

A primeira-ministra britânica agradeceu esta segunda-feira a contribuição do ministro David Davis, que apresentou a demissão em desacordo com Theresa May sobre a relação comercial com a UE depois da saída do Reino Unido.

Numa carta dirigida a David Davis, May saudou a contribuição "para algumas das legislações mais importantes" para futuras gerações.

Dominic Raab é o novo ministro do Brexit

Dominic Raab foi promovido de secretário de Estado da Habitação para ministro responsável pelo Brexit, substituindo David Davis, foi hoje anunciado.

Raab, de 44 anos e advogado de profissão antes de ser eleito deputado em 2010, foi um proeminente defensor da saída do Reino Unido da União Europeia durante o referendo de 2016.

Após as eleições de 2015 exerceu funções no Ministério da Justiça, mas em maio passado foi transferido para o ministério das Comunidades.

Dominic Raab à saída da residência oficial da primeira-ministra britânica, esta segunda-feira de manhã (EPA/Rick Findler)

Na carta de demissão, David Davis alegou que a proposta de criar uma zona de comércio livre entre o Reino Unido e a UE ao aderir às regras europeias controla, aprovada na sexta-feira, deixa o país "na melhor das hipóteses, numa posição de negociação fraca, e possivelmente inaceitável".

Manifestando discordância com o plano da primeira-ministra, Theresa May, disse que, na sua opinião, "a consequência inevitável das políticas propostas será tornar o suposto controlo pelo Parlamento ilusório, e não real".

Invocou ainda ser do interesse nacional um ministro responsável pelas negociações para o Brexit "que seja entusiasta da sua estratégia, e não apenas um recruta relutante."

/ AR - Atualizada às 11:00