Uma médica britânica morreu após ter sido diagnosticada com cancro, enquanto trabalhava em turnos de 10 horas para salvar vidas durante a pandemia.

Jessi Tucker, de 40 anos, recebeu o diagnóstico de cancro da pele no primeiro dia do confinamento no Reino Unido, em março passado.

Depois de usar todas as licenças médicas disponíveis enquanto fazia imunoterapia e ter esgotado o fundo de auxílio à doença do Sistema Nacional de Saúde, a família de Jessi tentou angariar dinheiro para pagar o tratamento, mas era tarde demais.

A sua melhor amiga Caroline Walker atualizou a página de angariação de fundos de Jessi no domingo para dizer que a médica “infelizmente faleceu rodeada pela família e amigos na noite de sexta-feira”.

Na página GoFundMe, organizada para ajudar a pagar o tratamento de Jessi, Caroline escreveu: “Lamento partilhar convosco algumas notícias muito tristes”.

“O estado de Jessi piorou muito rapidamente nas últimas semanas e dias. E, ontem à noite, no conforto do St. Peter's Hospice, em Bristol, ela morreu. Estava com a família e em paz”, contou.

Apesar de passar por imuno terapia intensiva, o melanoma de estágio 3 inicial de Jessi progrediu para o estágio 4 - mais agressivo - e foi informada no início do ano de que poderia ter apenas nove meses de vida.

Caroline criou uma página GoFundMe para ajudar a apoiar Jessi quando ela começou um novo tratamento de imunoterapia dupla em janeiro de 2021 que poderia tê-la deixado permanentemente incapaz de cuidar de si mesma.

Redação / HCL