A Rainha Isabel II vai dirigir-se de novo aos britânicos no dia 8 de maio, no âmbito das comemorações do 75.º aniversário do Dia da Vitória dos exércitos aliados sobre as tropas nazis, cujos festejos foram reduzidos devido à pandemia Covid-19.  

A monarca vai ler uma mensagem às 21:00, a mesma hora a que o pai, Jorge VI, falou para a rádio, em 1945, anunciou esta quarta-feira o ministério da Cultura, responsável pelo programa de celebrações. 

A comunicação de Isabel II pela televisão será a segunda no espaço de cinco semanas, após uma intervenção no início de abril à qual assistiram mais de 24 milhões de pessoas. 

Logo a seguir, os britânicos são encorajados a vir à janela ou porta para cantar em coro a popular canção “We’ll Meet Again”, de Vera Lynn, composta no início do conflito para tentar encorajar o país, a qual a rainha citou a propósito do desafio colocado pelo novo coronavírus. 

O 8 de maio de 1945 passou a ser designado o Dia da Vitória na Europa [VE Day] por ter sido a data em que os países Aliados aceitaram a rendição condicional da Alemanha nazi, pondo fim à Segunda Guerra Mundial na frente europeia, levando centenas de milhares de pessoas a celebrar nas ruas de Londres. 

O Rei Jorge VI e primeiro-ministro, Winston Churchill, saudaram os populares da varanda do Palácio de Buckingham, enquanto a então jovem princesa Isabel e a irmã Margarida se juntaram à multidão para celebrar nas ruas da capital. 

A efeméride levou o governo de Boris Johnson a mudar o habitual feriado da primeira segunda-feira de maio para a sexta-feira 8 de maio, tendo inicialmente previsto uma série de eventos nas ruas, como desfiles com veteranos em várias partes do país e a permissão aos bares para ficarem abertos mais duas horas, até à 01:00, no fim-de-semana. 

Porém, devido ao regime de confinamento decretado em 23 de março e às medidas de distanciamento social que visam proteger as pessoas mais vulneráveis, em especial os idosos, o programa foi alterado. 

Embora agora tenhamos de celebrar o VE 75 nas nossas casas e às nossas portas, e não em desfiles e festas de rua, acredito que o país se vai unir para marcar aquela ocasião histórica. Nestes tempos difíceis, os eventos de recordação são ainda mais significativos”, disse o ministro da Cultura, Oliver Dowden, esta quarta-feira num comunicado. 

As comemorações nacionais vão começar às 11:00 com dois minutos de silêncio e durante o dia terão lugar várias formas de celebração, como a leitura, pelo Príncipe Carlos, de um excerto do diário do avô em que este descreve o dia, incluindo quando saiu à varanda do palácio para acenar aos populares. 

/ Publicado por Henrique Magalhães Claudino