A atual primeira-ministra britânica e líder conservadora, Theresa May, afirmou estar “disposta a ser uma mulher difícil” para atingir os objetivos do seu futuro governo. Já numa outra entrevista aos canais de televisão Channel 4 e Sky News, o rival trabalhista, Jeremy Corbyn, prometeu ser um primeiro-ministro que escuta.

Os dois políticos britânicos participaram num programa televisivo dedicado às eleições legislativas antecipadas, agendadas para 8 de junho, em que responderam, em separado, às perguntas de uma audiência.

Theresa May e Jeremy Corbyn foram posteriormente entrevistados por um jornalista.

Quando questionada por um espetador se o rótulo de “mulher difícil” podia prejudicar os conservadores, a primeira-ministra britânica disse que será uma líder difícil se isso implicar um bom acordo com a União Europeia sobre o Brexit ou em outras questões nacionais.

May perde vantagem

Uma sondagem da empresa Survation divulgada pelo jornal The Times mostra que a vantagem dos Conservadores de Theresa May sobre os Trabalhistas é agora de apenas seis pontos percentuais.

Uma semana antes, os Conservadores tinham mais nove por cento de intenções de voto.

Uma outra sondagem para o programa "Bom dia Grã-Bretanha" da televisão ITV dá agora 43% aos Conservadores de Theresa May e 37% aos Trabalhistas, que sobem três pontos nas preferências dos eleitores.