A canção "El Diablo", interpretada por Elena Tsagrinou, vai representar o Chipre no Festival Eurovisão da Canção, mas há várias pessoas descontentes com o facto de o país ter escolhido uma canção que tem o diabo no título.

Uma petição online contra a música já foi assinada por mais de 19 mil pessoas e, há uma semana, um cidadão anónimo ameaçou incendiar a emissora pública de televisão por causa da canção. A Igreja Ortodoxa de Chipre também pediu ao governo que retire a música, alegando que esta ofende os princípios morais do país ao defender “a nossa rendição ao diabo e promover a sua adoração”.

Este sábado, um grupo de manifestantes ergueu faixas à entrada do edifício da televisão com as frases “Pacificamente dizemos não a El Diablo” e “Chipre ama Cristo”. Um manifestante tentou escalar o portão da emissora ao mesmo tempo que empunhava uma enorme cruz.

“A nossa posição é que a música é um hino às forças das trevas”, dizem os manifestantes, no comunicado entregue a Panicos Hadjipanayis, diretor da estação pública, que é a responsável pela escolha da canção que representa o país no Festival da Eurovisão que se realiza em maio.

Apesar da polémica, a estação mantém a sua aposta em “El Diablo” e explicou que a música não é uma homenagem ao diabo, é apenas sobre uma mulher que tenta separar-se de um homem muito mau.

Maria João Caetano