Uma pintura de René Magritte foi vendida na segunda-feira, num leilão em Nova Iorque, por 26,8 milhões de dólares (23,8 milhões de euros), tornando-se a obra mais cara de sempre do pintor belga.

"Le principe du plaisir" destronou assim "La corde sensible", vendido em fevereiro do ano passado, em Londres, por 14,4 milhões de libras (16,5 milhões de euros).

O valor ultrapassou as estimativas da leiloeira Sotheby's, entre os 15 e os 20 milhões de dólares. Ao todo, sete diferentes colecionadores fizeram ofertas.

Várias obras também excederam o seu valor estimado, como "Improvisation auf mahagoni", do pintor russo Vassily Kandinsky, que recebeu 24,2 milhões de dólares, enquanto a Sotheby's estimava que seria vendido entre 15 e 20 milhões de dólares.

Um dos destaques no leilão, uma pintura de Marsden Hartley, considerada um dos primeiros trabalhos totalmente abstratos na história da arte norte-americana, não encontrou comprador.

No domingo, "Garden Corner with Butterflies", de Vincent Van Gogh, estimado em 40 milhões de dólares, também permaneceu nos braços do proprietário, no final de um leilão da Christie's dedicado ao Impressionismo e à Arte Moderna.

As vendas continuam até quinta-feira à noite.