Um dos mergulhadores que participou no resgate da equipa de futebol na Tailândia processou Elon Musk por este lhe ter chamado "pedófilo" no Twitter.

Na altura em que se pensava numa solução para salvar as crianças e o treinador, o CEO da Tesla ofereceu ajuda com a sua tecnologia, mas Vernon Unsworth, o chefe de operações, agradeceu, fez críticas aos aparelhos e recusou a oferta.

[Musk] Não tinha noção de como era a passagem da caverna. O submarino, creio eu, tinha cerca de um metro e meio de comprimento, era rígido, não teria dado a volta nem contornado nenhum obstáculo", começou por dizer Unsworth numa entrevista na altura.

O chefe de operações disse ainda que a visita de Musk ao sistema de cavernas foi curta e que o CEO da Tesla foi convidado a sair e que podia "enfiar o submarino onde dói".

Em resposta, Musk tweetou: "Desculpa, pedófilo, realmente pediste isto". Perante as críticas ao que escreveu, Musk ainda acrescentou “Aposto um dólar em como é verdade”.

Os tweets foram apagados pouco depois, Musk pediu desculpa, mas Vernon Unsworth não perdoou o insulto e deu entrada com um processo judicial no tribunal federal de Los Angeles, pedindo uma indemnização de 75 mil dólares (cerca de 64 mil euros).