Os militares da Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da GNR, em missão na ilha grega de Samos, resgataram do mar Egeu 17 migrantes que estavam a bordo de uma embarcação de borracha e com excesso de lotação.

Em comunidade, a Guarda Nacional Republicana refere que os 17 migrantes, duas das quais crianças, uma grávida e um idoso, foram detetados durante uma ação de patrulhamento dos militares da GNR, que de imediato realizaram o resgate e os transportaram em segurança para o porto de Vathy, tendo sido entregues às autoridades gregas.

Segundo a corporação, os migrantes estavam a bordo de uma embarcação de borracha a duas milhas náuticas da costa, com cerca de cinco metros e com excesso de lotação.

A GNR salienta que o resgate foi efetuado em ambiente noturno e frio, tendo os militares verificado que os ocupantes da embarcação se encontravam molhados e, em alguns casos, em risco de entrar em hipotermia, pelo que, durante o transporte, foram providenciadas mantas térmicas.

A GNR refere também que dois dos migrantes, uma grávida e um idoso, se apresentavam “especialmente debilitados”, pelo que foram encaminhados para o Hospital de Vathy.

Os militares da UCC, em missão na Grécia no âmbito da missão da Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira (FRONTEX), efetuaram este ano mais de 900 patrulhas, o que corresponde a cerca de 5.700 horas de empenhamento, detetaram mais de 220 embarcações e auxiliado 2.197 migrantes.

Esta missão tem a finalidade de prevenir, detetar e reprimir ilícitos relacionados com a imigração ilegal, tráfico de seres humanos e outros crimes transfronteiriços, contribuindo a GNR, juntamente com a Polícia Marítima, para o empenhamento de Portugal na salvaguarda de vidas humanas no mar Egeu.