O Presidente russo, Vladimir Putin, foi designado personalidade do ano 2007 pela Time, anunciou esta quarta-feira a revista norte-americana. Putin «impôs a estabilidade a um país que raramente a conheceu e conduziu a Rússia à mesa dos poderosos deste mundo», explicou a revista para justificar a escolha.

Num artigo com o título «escolher a ordem antes da liberdade», a revista lembrou que «ser a personalidade do ano da Time não é, nem nunca foi uma honra». «Não é um apoio, não é um concurso de popularidade», sublinhou a revista que pretende, com estas escolhas, designar as pessoas que desempenharam um papel preponderante na cena internacional.

«Putin não é um escuteiro. Não é um democrata, de acordo com os critérios do Ocidente. Não é um modelo da liberdade de expressão», acrescentou. Este reconhecimento é atribuído ao chefe de Estado russo por ter remodelado um país que tinha «desaparecido do nosso mapa mental», sublinhou um dos chefes de redacção Richard Stengel.

«Com o sacrifício de princípios e valores que uma nação livre estima, Putin realizou, enquanto dirigente, uma proeza extraordinária, impôs a estabilidade a uma nação que raramente a conheceu e conduziu a Rússia à mesa dos poderosos deste mundo», acrescentou Stengel. «Por estas razões, Vladimir Putin é o homem do ano 2007 da Time», concluiu.