O governo francês classificou, na sexta feira, como «excessivo» e «caricaturial» o relatório do comité das Nações Unidas, que aponta um «ressurgimento do racismo» em França e apela ao país para «evitar as expulsões colectivas de ciganos».

«Não, nós não aceitamos as caricaturas», disse o ministro francês dos Negócios Estrangeiros, Bernard Kouchner, após a conferência anual dos embaixadores de França, citado pela agência France Press.

«Esse relatório distingue-se pelo seu carácter excessivo e caricatural e por numerosos erros factuais», defendeu, por sua vez, o Secretário de Estado para os Assuntos Europeus, Pierr Lellouche, ao sublinhar que «nenhum membro da União Europeia criticou a França».
Redação / SM