O Governo do primeiro-ministro romeno, Florin Citu, do Partido Liberal Nacional, caiu esta terça-feira após ser aprovada esmagadoramente uma moção de censura no parlamento, aprofundando a crise política no país.

A moção de censura foi apresentada pelo Partido Social Democrata, da oposição, e apoiada pelo antigo parceiro da coligação USR-Plus e pelo partido de extrema-direita AUR. A moção foi aprovada com 281 votos, quando eram necessários apenas 234 votos.

A queda do Governo encerra uma crise política que começou há um mês, quando Florin Citu demitiu o ministro da Justiça, Stelian Ion, da USR-Plus, por não ter assinado um programa de desenvolvimento regional.

A USR-Plus considerou haver uma "revogação abusiva" e saiu da coligação no poder.

Nos debates parlamentares de hoje, antes da votação, Florin Citu atacou a USR-Plus, dizendo que tinha tolerado "uma equipa de incompetentes".

O Presidente romeno, Klaus Iohannis, irá agora iniciar consultas para a nomeação de um novo primeiro-ministro, enquanto Florin Citu poderá permanecer ao leme do governo durante mais 45 dias.

Florin Citu poderá ser renomeado se os deputados falharem duas vezes um acordo sobre a nomeação de um novo primeiro-ministro.

A USR-Plus já se manifestou pronta a restabelecer a coligação, com um primeiro-ministro diferente.

O Governo liderado pelos liberais chegou ao poder na sequência de uma eleição parlamentar em dezembro passado.

A crise em curso pode dificultar os esforços da Roménia, um país com 19 milhões de pessoas, para enfrentar uma onda alarmante de infeções por covid-19 que está a colocar os hospitais do país sob grande tensão.

Agência Lusa / AG