Ron English pagou 640 mil euros por “Slave Labour”, a imagem de um criança de joelhos junto a uma máquina a costurar bandeiras do Reino Unido, que foi pintada numa parede de rua em Londres, em 2012, e andou a viajar entre os dois lados do Atlântico até ser vendida, na quarta-feira, num leilão em Beverly Hills, Los Angeles, nos Estados Unidos.

O plano de Ron English para o pesado quadro de street art é “pintá-lo de branco”, admitiu o próprio à agência britânica Press Associaton, “em nome" do seu "grande amigo Banksy”.

Uma forma de protesto do norte-americano contra o mercado da arte de rua que, no seu entender, não deve envolver dinheiro.

Isto é um golpe para a 'street art', que não deve ser comprada nem vendida. Vou pintar por cima e colocá-lo numa das paredes da minha casa. Estamos fartos de pessoas que roubam os nossos trabalhos das ruas para os poderem vender. Por isso, vou comprar tudo aquilo que conseguir e pintar por cima de branco”, garantiu, ainda.

Também em cima da mesa está a possibilidade de revender o trabalho pintado de branco por “um milhão de dólares”.

Sou maluco mas não sou estúpido”, justificou.

Em 2012, “Slave Labour”, meses depois de ter sido pintado, foi recortado da parede londrina e apresentado num leilão em Miami. A peça acabou por não ser leiloada devido a protestos, acabando por regressar a Londres, onde seria vendida em 2013. Voltou aos Estados Unidos cinco anos depois.

Ron English foi detido já, por diversas vezes, por pintar murais nas ruas.