Duas crianças foram forçadas a viver durante três dias com os cadáveres dos pais depois de uma intoxicação alimentar as ter deixado órfãs.

O incidente ocorreu na cidade russa de Bolshoye Kuzomkino. Os pais, Viktoria e Alexander, foram encontrados mortos em casa por uma familiar que fez soar os alarmes após o casal e os filhos não comparecerem a um evento.

Segundo a imprensa russa, Natalya, a irmã de Alexander, telefonou para a residência das vítimas e falou com uma das crianças que lhe disse que os pais estavam a dormir há muito tempo. De acordo com a publicação 78.ru, a criança referiu que o pai “ficou negro”.

Quando Natalya chegou a casa, encontrou as vítimas sem vida deitadas na cama. Rapidamente telefonou aos serviços de urgência e, com um casaco, tapou as crianças e conduziu-as para fora do apartamento.

A causa da morte do casal permanece um mistério, mas as autoridades avançaram que uma garrafa de picles pode estar na origem da intoxicação fatal.

Na noite antes de morrer, Alexander trouxe as crianças do jardim de infância, parando em casa da avó para levar com ele um saco de batatas e uma garrafa de picles.

A investigação à morte do casal acredita existir a possibilidade de as vítimas terem ingerido toxinas botulínicas, uma neurotoxina encontrada, por exemplo, em garrafas mal fechadas de picles.