Anatoly Antonov, embaixador russo em Washington, foi chamado de volta a Moscovo para "consultas", disse a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Maria Zakharova, em comunicado, esta quarta-feira.

O embaixador russo em Washington, Anatoly Antonov, foi convocado para consultas com o objetivo de discutir o que fazer e para onde ir nas relações com os Estados Unidos", diz o comunicado.

Zakharova sublinha que a Rússia está interessada em evitar que as relações com os EUA se deteriorem irreversivelmente e culpou Washington pelo impasse entre os dois países. "O principal para nós é descobrir formas de melhorar as relações Rússia-EUA", acrescenta.

A porta-voz dos Negócios Estrangeiros da Rússia recorda que o governo Joe Biden completará em breve 100 dias de mandato e é, por isso, hora de avaliar as suas ações.

Na terça-feira, os serviços de informação dos EUA divulgaram um relatório sobre a interferência estrangeira na eleição presidencial dos EUA de 2020, que afirma que o presidente russo, Vladimir Putin, supervisionou os esforços para denegrir a candidatura de Joe Biden.

Quando solicitado a comentar o relatório, numa entrevista ao canal ABC News, Joe Biden afirmou que as autoridades russas teriam que "pagar um preço" pela sua alegada interferência nas eleições nos EUA.

Já o porta-voz presidencial russo, Dmitry Peskov, disse à comunicação social que o Kremlin considerava infundadas as alegações sobre a interferência da Rússia nas eleições americanas de 2020 e acusa os EUA de apenas querer usar essas alegações como desculpa para aplicar sanções adicionais à Rússia.

Maria João Caetano