Os chefes da diplomacia dos Estados Unidos e de França falaram, no sábado, sobre a "preocupante atividade militar russa" na Ucrânia, na sequência do destacamento de tropas russas na fronteira ucraniana.

Antony Blinken e Jean-Yves Le Drian basearam-se em "relatórios sobre atividades militares russas preocupantes na Ucrânia e em zonas próximas" e lembraram "o compromisso inabalável em relação à soberania e integridade territorial" ucraniana, de acordo com um comunicado do Departamento de Estado norte-americano.

Na sexta-feira, Paris tinha avisado a Rússia contra qualquer "novo ataque contra a integridade territorial da Ucrânia", na sequência daquele destacamento. Washington manifestou preocupação relativamente aos movimentos de tropas russas junto à fronteira com a Ucrânia e advertiu também Moscovo contra uma invasão.

A Rússia anexou a península ucraniana da Crimeia em 2014 e, desde então, Kiev está também em conflito com separatistas pró-russos no leste do país.

A Ucrânia e os países ocidentais acusam Moscovo de apoiar os separatistas militarmente e com meios financeiros, o que as autoridades russas desmentem.