A NATO expulsou esta quarta-feira oito membros da missão russa da aliança militar, por estes pertencerem aos serviços secretos, reduzindo para metade o tamanho da equipa de Moscovo, de acordo com informação avançada pela agência AP.

“Podemos confirmar que retirámos a credencial a oito membros da missão russa da NATO, que eram agentes secretos não declarados”, avançou um oficial das Nações Unidas.

A identidade dos agentes não foi revelada devido à obrigatoriedade de se manter o anonimato.

A NATO acabou também por reduzir o número de cargos para os quais a Rússia pode credenciar pessoas na organização, de 20 para 10, avançou a mesma fonte. A decisão irá entrar em vigor a partir do final do mês de outubro.

As relações entre a Rússia e as Nações Unidas tornaram-se mais tensas desde 2014, uma vez que a NATO mostra o desacordo sobre o desenvolvimento de mísseis nucleares da Rússia, assim como as invasões no espaço aéreo da NATO.

Redação / BMA