O Governo russo espera que o encontro entre o presidente, Vladimir Putin, e o seu homólogo norte americano, Donald Trump, suceda como o planeado, disse hoje o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

O presidente norte-americano, Donald Trump, disse em entrevista ao The Washington Post na terça-feira que pode cancelar o encontro com Putin na Argentina na sequência da apreensão pela Rússia de três navios ucranianos na última semana.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse hoje aos jornalistas que a reunião está marcada e que a Rússia não recebeu "nenhuma outra informação em contrário dos EUA".

O conflito de longa data entre a Rússia e a Ucrânia explodiu no domingo, quando guardas da fronteira russa dispararam contra três navios ucranianos e apreenderam os navios e prenderam a tripulação.

A tensão no mar de Azov aumentou desde que Moscovo construiu, em maio, a ponte da Crimeia, que une ao território russo esta península anexada pela Rússia em 2014, após o que foram redobradas as inspeções aos barcos ucranianos, o que Kiev considera um bloqueio ‘de facto’ dos seus portos na zona.

Na entrevista ao The Whashington Post, Donald Trump disse que quer receber um "relatório completo" de sua equipa de segurança nacional sobre as recentes ações da Rússia no leste da Ucrânia e no Mar Negro e que só depois tomaria uma decisão.

Trump e Putin têm agendada uma reunião bilateral em Buenos Aires, Argentina, onde ambos participarão na sexta-feira e no sábado na cimeira de líderes do G20, das 20 principais economias do mundo.

Esse seria o seu primeiro encontro desde a reunião bilateral que mantiveram em julho em Helsínquia.