Uma tela de Picasso, considerada um raro autorretrato do pintor, numa época em que temia ser deportado pelas tropas nazis, será leiloada em Nova Iorque, pela Christie's, que estima chegar a 70 milhões de dólares (56 milhões de euros).

Este óleo sobre tela de 130 por 81 centímetros, intitulado "O Marinheiro", apresenta um homem com um olhar triste, vestindo uma camisa listrada e sentado numa cadeira, descreve a agência noticiosa France Presse.

A tela está exposta em Hong Kong até 03 de abril, antes de partir para Nova Iorque, onde será leiloada no dia 15 de maio.

A imagem está num ambiente bastante escuro, nervosa, tensa e sombria", descreveu Conor Jordan, vice-presidente da secção de Arte Moderna e Impressionista da Christie's.

A personagem no quadro está com a cabeça sobre a mão direita, "um símbolo tradicional de melancolia", acrescentou Jordan.

Esta tela foi pintada por Pablo Picasso em 1943 quando vivia em Paris, cidade então ocupada por tropas alemãs. O pintor espanhol tinha medo de ser preso pela Gestapo, a polícia secreta nazi, e ser deportado para um campo de concentração.

Em 2015, a pintura "A mulher de Argel (versão O)", de Picasso, foi arrematada por 179,4 milhões de dólares (146 milhões de euros) na Christie's, em Nova Iorque, tornando-se a pintura mais cara já vendida em leilão.