A polícia de Manchester divulgou imagens do bombista que se fez explodir no concerto da cantora norte-americana Ariana Grande, provocando 22 mortos e dezenas de feridos. As autoridades acreditam ainda que o engenho explosivo foi finalizado num apartamento no centro da cidade que já foi alvo de buscas.

As novas imagens de Salman Abedi, o bombista de Manchester, foram captadas através de câmaras de vigilância, no dia em que ocorreu o atentado. Mostram o jovem com óculos, vestindo um kispo escuro e um boné cinzento.

Num comunicado conjunto, o chefe da polícia de Manchester, Ian Hopkins, e o coordenador na Unidade Nacional de Combate ao Terrorismo britânica, Neil Basu reveleram que Abedi esteve num apartamento no centro da cidade onde terá finalizado a bomba. Dali, o jovem seguiu para a arena de Manchester.

"Sabemos que um dos últimos locais onde Abedi esteve foi num apartamento no centro da cidade e que foi de lá para a arena de Manchester. O apartamento é um local muito importante na investigação pois poderá ter sido ali que a bomba foi finalizada."

As autoridades indicam ainda, no mesmo comunicado, que foram reunidas informações importantes sobre o jovem, sobre como é que a bomba foi construída, os outros envolvidos no ataque e os lugares que foram usados para encetar o plano.

Ainda assim, os responsáveis apelaram aos cidadãos para fornecerem qualquer tipo de informação adicional que tenham sobre o jovem, particularmente sobre os seus movimentos a partir do dia 18 de maio, data em que regressou ao Reino Unido.

Salman Abedi, de 22 anos, é filho de um casal da Líbia que emigrou para o Reino Unido para fugir ao regime de Muammar Khadafi. 

Nasceu em 1994, em Manchester. Frequentou as escolas locais e ingressou na Universidade de Salford, também na região de Manchester, para estudar gestão, mas acabou por desistir do curso.

Os pais mudaram-se para Tripoli depois da queda do regime. Desde então, Salman viajava para a Líbia para visitar a família. Viagens que agora estão a ser escrutinadas pelas autoridades.

Este sábado, o Reino Unido baixou o nível de ameaça terrorista no país de "crítico" para "severo", o segundo mais alto possível. O anúncio foi feito este sábado pela primeira-ministra britânica, Theresa May.

Até agora, a polícia já deteve 11 pessoas no âmbito da investigação ao atentado.