David Fredman ia para o trabalho quando viu um cão atado a um poste de eletricidade, em Kansas City, nos Estados Unidos. O animal estava em más condições e a sufocar lentamente, e o homem não hesitou em salvá-lo. O dono foi contactado e diz que não sabe como o cão foi ali parar.

A corda estava a sufocá-lo, sem dúvida. As patas estavam no chão, mas por muito pouco. Ele estava a tentar mover a cabeça de um lado para o outro, mas não conseguia”, contou David Fredman à Fox4 News.

O homem ligou de imediato para o número de emergência. De seguida pegou numa faca e cortou a corda que amarrava o cão ao poste de eletricidade.

David Fredman acabou por levar o cão para o KC Pet Project, um canil da cidade, que acolheu Max, de 16 anos. Já no canil, e após vários exames ao animal, foi descoberto um microchip, que permitiu localizar o dono.

Max regressou com o dono, que afirma que o cão fugiu de casa e não faz ideia de como foi ali parar. Dee Vaughn, o dono do animal, contou à Fox4 News que recebeu a chamada do canil apenas duas horas depois do cão desaparecer. Vaughn afirma que é impossível que Max tenha percorrido aquela distância em apenas duas horas.

Graças à rápida ação de David e ao microchip, conseguimos que o Max regressasse a casa em segurança”, escreveu o KC Pet Project.

O dono de Max convidou David Fredman para ir a sua casa na noite dessa segunda-feira, como forma de agradecer por ter salvado a vida do seu cão.