O primeiro-ministro iraquiano, Mustafa al-Kazemi, anunciou esta segunda-feira a detenção de um membro importante do grupo extremista Estado Islâmico (EI), que integra a lista dos mais procurados dos Estados Unidos por ser responsável pelas finanças do grupo extremista.

O serviço nacional de informação do Iraque realizou no domingo uma "operação complexa que capturou Sami Jasim, responsável pelas finanças do EI e um dos principais colaboradores de Abu Bakr al-Baghdadi", afirmou Mustafa al-Kazemi.

Esta detenção, realizada pelas forças iraquianas, ocorreu enquanto parte dos militares estava a supervisionar eleições legislativas, que ocorreram no domingo no país.

Os Estados Unidos ofereciam uma recompensa de cinco milhões de dólares (4,31 milhões de euros) por informações sobre Sami Jasim Mohamed al-Jaburi, de nacionalidade iraquiana e também conhecido como Hajji Hamid, por ser um líder do Estado Islâmico do Iraque e da Síria, e que "fundamentalmente geria as finanças das operações terroristas do EI".

Sami Jasim tinha um dos cargos mais importantes no sul de Mossul, a capital de facto do grupo ‘jihadista’ no Iraque, em 2014, onde supostamente “ocupou um cargo equivalente ao de ministro das Finanças do EI”.

Jasim “supervisionava as operações do grupo e o dinheiro obtido a partir da venda ilícita de petróleo, gás, antiguidades e minerais", segundo o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, que o classificou como terrorista em setembro de 2015.

Sami Jasim pertencia ao círculo de Abu Bakr al-Bagdadi, que foi o líder e fundador do Estado Islâmico e que foi morto numa operação realizada pelos Estados Unidos em outubro de 2019.

A Al-Baghdadi foi substituído por Abu Ibrahim al-Qurashi na liderança do grupo extremista, embora no momento a sua figura seja um mistério e não tenha aparecido na propaganda da organização.

Agência Lusa / BC