A Rússia e a China vetaram esta terça-feira um projeto de resolução da ONU que previa sanções contra a Síria pela utilização de armas químicas no conflito que afeta aquele país há quase seis anos.

Na votação realizada esta terça-feira no Conselho de Segurança da ONU, o projeto de resolução, apresentado pelo Reino Unido, França e Estados Unidos, recebeu nove votos favoráveis e três votos contra (China, Rússia e Bolívia). Cazaquistão, Etiópia e Egito abstiveram-se.

As resoluções da ONU precisam de nove votos a favor e nenhum veto para serem adotadas. 

Foi a sétima vez que a Rússia, o principal aliado militar da Síria, usou o poder de veto para proteger o regime de Damasco.

O presidente russo, Vladimir Putin, já tinha avisado que impor sanções contra a Síria durante as negociações de paz em Genebra era "completamente inapropriado" e prejudicaria o esforço para acabar com os quase seis anos de conflito.

"Esta resolução é muito apropriada", disse a embaixadora dos Estados Unidos, Nikki Haley, ao Conselho de Segurança depois de a medida ter sido chumbada na votação.

É um dia triste no Conselho de Segurança, quando os membros começam a dar desculpas para outros Estados-membros que estão a matar o próprio povo", acrescentou.

 

O mundo é definitivamente um lugar mais perigoso", rematou a embaixadora, citada pela AFP.

  
/ AR