Os turistas obesos estão proibidos de montar burros nas ilhas gregas, determinou o governo, depois de vários grupos de defesa dos animais terem contestado a prática e denunciado os maus-tratos.

Os passeios de burro em locais turísticos são uma prática com vários anos.

Nos últimos meses, foram partilhadas nas redes sociais fotografias de feridas nos animais, provocadas pelo excesso de peso dos turistas. As denúncias ganharam peso e culminaram, agora, na proibição, que, ainda assim, não é total.

Os passeios de burro passaram a estar condicionados a pessoas com menos de 100 quilos ou um quinto do peso do animal.

A nova medida do Ministério do Desenvolvimento Rural diz que “os proprietários dos burros de passeio devem garantir que o nível de saúde dos animais é elevado”.

Em nenhuma circunstância devem ser usados animais sem condições para trabalhar, ou seja, doentes, magoados, animais em estado de gravidez avançada bem como com fraca manutenção das patas e cascos. Os animais devem ter à disposição comida apropriada e água fresca diariamente, em recipientes adequados e limpos pelo menos uma vez por dia”, diz, ainda, a nova lei.

Os defensores da causa animal mostraram-se satisfeitos com a medida governamental.

Os turistas obesos e com excesso de peso, juntamente com a falta de sombra e de água, calor e caminhadas longas, eram a causa dos problemas dos burros”, afirmou o porta-voz do grupo “Ajudem os Burros de Santorini”.