Quinze crianças morreram no Sudão do Sul depois de terem tomado vacinas contra o sarampo que não estavam em condições de serem administradas. A informação foi confirmada esta sexta-feira pelo Ministério da Saúde daquele país.

Segundo a mesma fonte, a campanha de vacinação foi mal conduzida e as mortes deveram-se a erro humano porque as vacinas chegaram a ser administradas por crianças de 12 anos e foi usada a mesma seringa para vacinar várias crianças.

Além disso, as vacinas foram armazenadas em más condições.

O Sudão do Sul, país que se tornou independente em 2011, está mergulhado num conflito armado há mais de três anos. Uma guerra que já fez milhares de mortos e cerca de 3,5 milhões de deslocados.

Desde o início do conflito, em 2013, foram mortas ou feridas mais de mil crianças e cerca de 1,4 milhões tiveram de ser deslocadas internamente.

Neste país, as crianças carecem de um lugar seguro para viver, o que coloca em perigo a sua saúde e a sua proteção, além de que precisam de ajuda humanitária e médica urgente.