Os Estados Unidos estão «encantados» com o regresso da França ao comando militar integrado da NATO, que Paris abandonara há 43 anos por decisão do Presidente De Gaulle, comentou o Departamento de Defesa de Washington, escreve a Lusa.

«Estamos encantados que, após 43 anos de ausência, a França retome o seu lugar na estrutura de comando da Aliança que contribuiu para criar», declarou o porta-voz do Pentágono, Geoff Morrell, em comunicado.

«Mesmo tendo os soldados franceses combatido com bravura ao lado dos nossos no Afeganistão, o regresso completo da França a todos os aspectos militares da NATO é uma notícia bem-vinda», acrescentou.

O Presidente Nicolas Sarkozy oficializou na quarta-feira o regresso controverso da França ao comando militar integrado da NATO, conquanto tenha reafirmado a independência de Paris em relação a Washington.

Em 1966, Charles de Gaulle tinha batido com a porta da estrutura militar da OTAN para que a França recuperasse «o exercício integral da soberania», embora mantendo-se membro da Aliança Atlântica.