Foi confirmado o primeiro caso de covid-19 e gripe A na mesma paciente.

As autoridades mexicanas confirmaram o caso de uma mulher, de 54 anos, mas dizem que ainda é cedo para perceber se a junção dos vírus SARS-CoV-2 e H1N1 pode resultar num estado de saúde mais grave.

A doente tem histórico de cancro, obesidade e doença pulmonar crónica, mas encontra-se internada "a evoluir favoravelmente", indicou o diretor-geral de Epidemiologia do México, José Luis Alomía, no domingo, na conferência de imprensa de balanço da covid-19, que já causou mais de 83.000 mortos e 817.000 mil infetados no país.

No final de setembro, a mulher começou a desenvolver sintomas de covid-19 e a 2 de outubro o teste foi positivo para o SARS-CoV-2. Devido ao seu historial médico, a doente foi internada, mas teve alta três dias depois, sem ter tido necessidade de ser entubada. Em casa voltou a ter sintomas e regressou ao hospital. Ficou internada e uma nova análise à primeira colheita comprovou que também estava infetada com o H1N1.

Efectivamente, trata-se de uma pessoa com os dois vírus, o primeiro caso registado no México, comprovado através da mesma amostra no mesmo dia", especificou José Luis Alomía, indicando também que se trata do primeiro caso de gripe A no outono.

O responsável admitiu, porém, que "será bastante complicado" saber se a evolução do estado da paciente decorre da covid-19 ou da gripe A, uma vez que a gripe "tem um tratamento específico".

Catarina Machado