O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, destacou hoje o "papel fundamental" da União Europeia (UE) na resposta à pandemia e na distribuição de vacinas através do mecanismo solidário Covax.

Intervindo na abertura de uma conferência virtual sobre o reforço do papel da UE na saúde global, através de uma mensagem gravada, Tedros Ghebreyesus começou por saudar o "papel fundamental" que o bloco comunitário e os seus Estados-membros desempenharam durante a pandemia.

Desde liderar o desenvolvimento da resolução histórica sobre covid-19, na última Assembleia Mundial da Saúde, (...) a liderar discussões em torno de um novo tratado internacional sobre preparação e resposta à pandemia", afirmou.

Ao mesmo tempo, o diretor-geral da OMS destacou o "apoio da equipa Europa" na distribuição de "mais de 32 milhões de vacinas por 57 países" através da Covax, uma iniciativa coliderada pela Aliança Gavi - uma organização internacional atualmente presidida por Durão Barroso -, pela Coligação para a Inovação na Preparação para Epidemias (CEPI, na sigla em inglês) e pela OMS.

É um começo, mas está longe de ser suficiente", assinalou, apontando que "a diferença está a crescer entre o número de vacinas administradas em países de rendimento alto e médio alto e o número administrado em países de baixo rendimento".

 

Nesse sentido, Tedros Ghebreyesus sublinhou a necessidade de "todos os países e empresas trabalharem juntos para (...) produzir e garantir que as vacinas sejam uma fonte de esperança para todos, não esperança para alguns".

O papel da UE na saúde global, porém, "vai além da atual pandemia", apontou, pois a pandemia "demonstra que, quando a saúde está em risco, tudo está em risco".

Segundo o líder da OMS, a saúde é "a base de sociedades saudáveis, resilientes, inclusivas e sustentáveis".

Por isso, "muitos Estados-membros da UE, incluindo Portugal, são a prova viva de que uma atenção primária e sólida à saúde é a base essencial da cobertura universal de saúde e da segurança da saúde", frisou.

O forte apoio e colaboração entre a OMS e a UE e seus Estados-membros na parceria de cobertura universal de saúde foi crucial para apoiar os países durante a pandemia e continuará a ser crucial para construir sistemas mais resilientes e na preparação para prevenir futuras emergências. Procuramos que a equipa europeia continue a apoiar a igualdade de vacinas e o reforço dos cuidados de saúde primários para alcançar a cobertura universal de saúde na Europa e em todo o mundo", concluiu.

Tedros Ghebreyesus participou hoje na abertura da conferência "Reforçar o papel da UE na saúde global", que contou ainda com a intervenção da ministra da Saúde, Marta Temido, e do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e, através de mensagens gravadas, do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e da vice-secretária-geral das Nações Unidas, Amina Mohammed.

A conferência, que decorre no âmbito da presidência portuguesa do Conselho da UE, abordará temas como a saúde global em tempo de pandemia, as alianças estratégicas UE-África, nomeadamente no acesso a vacinas, e a promoção da cobertura universal em saúde.

/ MJC