A seca no Corno de África provocou uma «situação catastrófica que exige uma ajuda internacional em massa e urgente», declarou o director-geral da FAO, Jacques Diouf, na abertura de uma reunião ministerial de urgência em Roma.

«É necessário salvar vidas e reagir», adiantou Diouf, que considera que são necessários cerca de 1,6 mil milhões de dólares nos próximos 12 meses e 300 milhões de dólares nos próximos dois meses.

A seca, que atinge actualmente no Corno de África, a pior em 60 anos, ameaça 12 milhões de pessoas na Somália, onde o estado de fome foi declarado em duas regiões, no Quénia, na Etiópia, no Djibouti, no Sudão e no Uganda.
Redação / CP