O primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, criticou nesta quinta-feira qualquer tentativa de reunião oficial com o regime bielorrusso de Aleksandr Lukashenko, considerando que tal equivale a “legitimá-lo”.

“É preciso ter consciência de que qualquer encontro direto com Lukashenko o ajuda, porque legitima o seu regime”, disse o chefe do governo polaco à imprensa.

As declarações do primeiro-ministro nacionalista polaco referem-se a encontros da chanceler alemã, Angela Merkel, com o presidente russo, Vladimir Putin, e com Lukashenko, seguidos de uma chamada telefónica a Morawiecki.

“Sublinhei junto da senhora chanceler que nenhum acordo envolvendo a Polónia e toda esta situação poderá ser concluído sem a nossa participação”, indicou.

A ação de Merkel, procurando uma solução para a crise migratória nas fronteiras orientais da União Europeia (UE), foi recebida com duras críticas por parte dos representantes do poder nacionalista polaco.

Na quarta-feira, o presidente polaco, Andrzej Duda, comentou o assunto numa reunião com o seu homólogo alemão, Frank-Walter Steinmeier.

“Somos um país soberano que tem o direito de decidir os seus próprios assuntos e vamos manter-nos intransigentes quanto à defesa desse direito”, insistiu Duda.

/ BMA