Um homem, de 65 anos, foi o autor da ameaça de bomba no avião da Lufthansa, na quinta-feira. O homem queria um encontro amoroso com uma das hospedeiras da Lufthansa.

O avião transportava 130 passageiros e cinco tripulantes de Belgrado, Sérvia, para Frankfurt, Alemanha. Pouco antes da descolagem, uma chamada obrigou à retirada de todos os ocupantes da aeronave, perto das 06:15 locais (04:15 em Lisboa). 

Todos os ocupantes tiveram de sair do avião, esperando por uma avaliação mais detalhada da situação. A inspeção do avião ficou a cargo de uma unidade especial da polícia sérvia, que foi ajudada por uma equipa de cães pisteiros.

Depois de ter sido feita a avaliação ao aparelho, as forças de segurança autorizaram o embarque. O avião descolou com oito horas de atraso.

Um suspeito foi detido e acabou por confessar toda a história em tribunal, no sábado. A detenção decorreu depois de ter sido detetado o telefone de onde foi feita a chamada, ainda que a mesma tenha sido anónima.

O homem contou que conheceu duas hospedeiras e convidou-as para jantar, mas as mulheres recusaram. O indivíduo terá gostado especialmente de uma das mulheres, o que o levou a uma tentativa desesperada de manter a hospedeira no país.

Os procuradores sérvios terão pedido a prisão preventiva para este homem, com base no pânico e na desordem causados.

/ AG