O presidente da Roménia rejeitou hoje indigitar para primeira-ministra a candidata de esquerda Sevil Shhaideh, que teria sido a primeira mulher e primeira muçulmana a liderar o governo do país.

Ponderei com cuidado os argumentos a favor e contra e decidi não aceitar esta proposta. Portanto, exorto a coligação PSD/ALDE a fazer outra proposta”.

Klaus Iohannis, citado pela agência France Press, tomou a decisão depois de o Partido Social Democrata (PSD) ter indicado o nome de Sevil Shhaideh na sequência da vitória nas legislativas no país no passado dia 11 de dezembro.

Sevil Shhaideh é uma economista com grande experiência e foi alta funcionária na administração pública. A sua nomeação pelo partido resulta, no entanto, de circunstâncias especiais. É que deveria ser o líder do partido, Liviu Dragnea, a ocupar o cargo, mas enfrenta um julgamento ligado ao escândalo de manipulação dos votos no referendo para a destituição do então Presidente, Traian Basescu, há quatro anos.

A Roménia foi liderada no último ano por um governo tecnocrata, após a demissão do governo do PSD de Victor Ponta, alvo de uma investigação por corrupção.

Victor Ponta demitiu-se após protestos em massa, depois de um incêndio numa discoteca em outubro de 2015 ter causado 64 mortos.

O presidente poderá agora optar pelo candidato proposto pelos conservadores do Partido Movimento Popular (PMP), Tomac Partido Eugen.