Um professor chinês que colocou na Internet fotografias de escolas que ruíram durante o terramoto na província de Sichuan foi condenadno a um ano de trabalhos forçados. A denuncia foi feita pelo grupo «Human Rights in China» (HRIC), citado pela agência EFE.

«Em vez de investigar e encontrar os responsáveis pela má construção das escolas, as autoridades recorrem a campos de trabalho para silenciar e encerrar os cidadãos preocupados como o professor Liu Shaokun», disse o grupo em comunicado.

O professor e director da escola de Guanghan, na província de Sichuan, foi detido em Junho por «espalhar rumores que contribuem para a destruição da ordem social», adianta o comunicado.

As autoridades terão explicado à família que o docente era suspeito de «incitar à subversão», uma acusação que o regime de Pequim aplica frequentemente a activistas, dissidentes e todos os que critiquem o regime.

O sismo de 12 de Maio causou 90 mil mortos, cerca de 10 mil dos quais eram crianças que perderam a vida quando as escolas em que se encontravam ruíram.
Redação / SM