Chama-se Simon Charles Dorante-Day, nascem em abril de 1966 e alega alega ser filho do príncipe Charles e de Camila Parker Bowles. O homem, que se autointitula como príncipe, deu início a um processo no Supremo Tribunal da Austrália para provar que é o segundo na linha de sucessão ao trono.

No Facebook, o "príncipe" Simon conta que nasceu em Portsmouth, Reino Unido e que foi adotado aos 18 meses por Karen e David Day.

Em entrevista à imprensa australiana, Simon Charles Dorante-Day revela que a avó “que trabalhava para a Rainha” lhe disse “muitas vezes” que era filho da Duquesa da Cornualha e do príncipe Carlos.

A 12 de dezembro, no Facebook, o australiano anunciou no Facebook que tinha dado início a mais um processo para ser reconhecido como filho do príncipe.

Entrevista à revista "New Idea", Simon diz que o governo britânico e o Palácio devem ter sabido das suas "alegações ao Supremo Tribunal pouco antes do Natal" e não tem "dúvidas que terão causado pânico".

"Depois ouvimos o anúncio de que Harry ia afastar-se da família real, toda a conversa urgente em Sandringham com a Rainha, o Carlos e William, É tudo uma grande coincidência! Enquanto o mundo inteiro pensava que eles estavam a falar sobre Harry, nós acreditamos que a minha batalha legal estava também num dos assuntos a ser discutidos. No seu discurso de despedida, o próprio Harry se referiu à existência de ‘outros desafios’ e eu não consegui deixar de imaginar se a minha batalha seria o caso”, explica.

/ AM