O ministro dos Negócios Estrangeiros de Tuvalu, um país insular localizado no meio do Oceano Pacífico, gravou um discurso para a  26.ª cimeira do clima das Nações Unidas (COP26), que está a decorrer em Glasgow, dentro do mar, com a água até aos joelhos, para ilustrar como a sua nação está a sofrer com as alterações climáticas.

Composto por nove ilhas a poucos metros acima do mar, Tuvalu corre o risco de desaparecer nas próximas décadas devido ao aumento do nível do mar provocado pelo aquecimento global, uma matéria que está a ser discutida nesta cimeira. 

No seu discurso, gravado na ponta de Fongafale, a principal ilha da capital Funafuti, Simon Kofe quis alertar para este problema e, por isso, surge dentro do mar, com água até aos joelhos, vestido com fato e gravata - imagens que estão a correr o mundo através das redes sociais.

A declaração sobrepõe o cenário da COP26 com as situações da vida real enfrentadas pela população de Tuvalu devido ao impacto das alterações climáticas e da subida do nível das águas do mar, e destaca a ação ousada de Tuvalu para resolver as questões muito prementes da mobilidade humana sob as alterações climáticas”, afirmou Kofe, no vídeo que será transmitido na conferência esta terça-feira.

A COP26 está a decorrer em Glasgow, no Reino Unido, e reúne, até ao próximo dia 12 de novembro, mais de 120 líderes políticos e milhares de especialistas, ativistas e decisores públicos para atualizar os contributos dos países para a redução das emissões de gases com efeito de estufa até 2030.

Beatriz Céu